Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

quinta-feira, 31 de julho de 2014

As duas mais importantes universidades da China


Universidade Tsinghua  é uma universidade localizada em Pequim, na China. É considerada uma das duas melhores e mais seletivas universidades do país (a outra é a Universidade de Pequim).

Edifício principal da Universidade Tsinghua
Foi fundada em 1911 como uma escola preparatória para chineses com graduação que buscavam aprofundamento em universidades estadunidense. Em 1925 transformou-se em universidade.
Entre os seus ex-estudantes famosos estão Hu Jintao, Presidente da República Popular da China entre 15 de março de 2003 e 14 de março de 2013, e Xi Jinping, atual Presidente do país. Ambos formaram-se em engenharia.

Universidade de Pequim, coloquialmente denominada em chinês como Beida, foi fundada em 1898 e é a primeira universidade formalmente estabelecida na China e considerada uma das melhores e mais seletas universidades do país. O nome em inglês permaneceu como Peking University em vez de Beijing University. Aparentemente, isso se deve ao desejo de manter uma tradição que remonta a 1912 (ano em que a antiga Universidade Metropolitana criada pela Dinastia Qing ganhou seu nome actual). 
Fonte: Internet


Pingyao County é um famoso ponto turístico situado na província de Shanxi, norte da China. 


Reconhecida como uma das cidade antiga de paredes mais bem preservado do país, Pingyao tem um charme set de filmagem que foi reconhecido pelo ranking à lista Património Mundial da UNESCO.

Sendo uma encarnação da história e a harmonia da China, Pingyao é o lugar perfeito onde entrar em um profundo conhecimento da China.


Com suas ruas de paralelepípedos, casas com paredes cinza e decorações vermelhas chinesas típicas e arquitetura, a cidade é apenas um lugar encantador para qualquer um. Os viajantes e mochileiros em busca de algumas descobertas em circulação será satisfeito com a exploração das muitas ruas pequenas que fazem a fama desta cidade histórica.


Parte do que chamamos China clássica, Pingyao é uma maravilha
para os olhos e um sonho para a mente!

A cidade testemunhou muitos acontecimentos históricos que influenciaram sua arquitetura e condição como uma jóia da cultura e da história.

Devido à sua localização no norte da China, a cidade realizou muitas mudanças de reinos.

Fonte: Internet

Vale vê maior demanda por minério na China no 2º semestre

Porto da Vale no Maranhão

A demanda por minério de ferro na China, maior importador global da commodity, deverá ser melhor no segundo semestre, conforme ocorre sazonalmente no período, disse o diretor-executivo de Ferrosos e Estratégia da Vale, José Carlos Martins.

Historicamente o segundo semestre da China é melhor", afirmou Martins, durante conferência com analistas sobre resultados do segundo trimestre.
"Estamos otimistas frente a China, eles têm mostrado capacidade de manter a economia em vigor apesar das expectativas", declarou.
Fonte: Exame.com

Acadêmicos chineses valorizam visita de Xi Jinping ao Brasil

Acadêmicos chineses acreditam que a visita de Estado do presidente Xi Jinping ao Brasil, realizada em meados de julho, terá um papel fundamental para o desenvolvimento futuro das relações bilaterais.

Zhou Zhiwei, pesquisador do Centro de Estudos Brasileiros da Academia Chinesa de Ciências Sociais, disse à Xinhua que o governo brasileiro e seu povo têm muita consideração à evolução dos laços com a China, a segunda economia do mundo e o principal parceiro comercial do Brasil nos últimos cinco anos.

Aos olhos de Zhou, são bons exemplos os novos acordos assinados durante a visita de Xi a Brasília.

Duas empresas chinesas fecharam contratos com a fabricante brasileira de jatos regionais, Embraer, para adquirir 60 aviões modelo E190. A estatal chinesa de energia, State Grid, marcará presença nos principais projetos de transmissão de energia no território brasileiro através do investimento, construção e manutenção.

Zhou acredita que para o Brasil, a parceria com a China pode ajudar a atender às demandas por capital e infra-estrutura.

Além disso, Sun apontou que a cooperação sino-brasileira em tecnologia informática, que poderá impulsionar no futuro a economia global, não apenas vai quebrar o monopólio dos países industrializados e reforçar a segurança informática dos países em desenvolvimento, mas também expandir a dimensão dos laços econômico-comerciais entre a China e o Brasil.

Este ano marca o 40º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas sino-brasileiras.

Fonte: Agência Xinhua

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Começa em OUTUBRO a nova fase da Feira de Cantão, maior feira de importação e exportação da China

Fundada na primavera de 1957, a Feira de Cantão (Canton Fair) é considerada a maior feira de importação e exportação da China. O evento acontece duas vezes por ano na cidade de Guangzhou, capital da província de Guangdong, localizada no sul do país asiático, e a nova fase terá início dia 15 de Outubro de 2014.

Para se ter uma idéia da grandiosidade, o complexo da feira abrange uma área de 1,1 milhão de metros quadrados, o equivalente a mais de 100 campos de futebol.

A zona de exportação é composta por mais de 20 mil empresas de comércio externo, fábricas, instituições de investigação científica, além de companhias com investimento externo, único e privado.


Confira as fases, datas e horários da 116ª Feira de Cantão:


Fase 1: de 15 a 19 de OUTUBRO das 9h30 às 18h Equipamentos eletrônicos, instrumentos metais, máquinas, veículos e peças, materiais de construção, iluminação, produtos industriais e químicos.

Fase 2: de 23 a 27 de OUTUBRO das 9h30 às 18h Bens de consumo, presentes e artigos de decoração.

Fase 3: de 31 de OUTUBRO a 4 de NOVEMBRO das 9h30 às 18h Produtos têxteis e vestuário, sapatos, materiais para escritório, malas, mercadorias para lazer, produtos de saúde e alimentos.

Sokan K. Young - diretor da Chinatur dá algumas dicas para a visita:


- É impossível visitar todos os complexos em um único dia, seja apenas olhando e andando pelos corredores.

- Nunca vista roupas pesadas e use sapatos ou tênis confortáveis.

- Não deixe de assistir os shows no corredor central, pois são realmente muito interessantes.

- Não espere pegar um táxi depois das 15h sem ao menos esperar uma hora.

Comerciantes e empresários do mundo inteiro se encontram em Guangzhou e a Chinatur  está pronta para contribuir com o sucesso dos seus negócios. 





Fonte: Internet

Dersu Uzala na Copa do Mundo de 2014, se mostrou novamente num grande ensinamento que veio da Terra do Sol Nascente, devemos sempre lembrar, passar para frente e ensinar as crianças....!!!!

DERSU UZALA NA COPA

José Ribamar Bessa Freire
22/06/2014 - Diário do Amazonas


No futebol “a bola é um reles, um ridículo detalhe” – escreve Nelson Rodrigues, para quem o que interessa é “o ser humano por trás da bola”. O que está em jogo no gramado, portanto,“não é a diversão lúdica, mas a complexidade da existência”. Se for assim, se Nelson tem razão como quer o cronista Joaquim Ferreira dos Santos, então o campeão mundial da Copa já é o Japão, que deu um show de vida lá na Arena Pernambuco contra a Costa do Marfim e, depois, na Arena das Dunas, em Natal, contra a Grécia.

O Japão perdeu um jogo e empatou o outro dentro do campo, mas nas arquibancadas ganhou os dois de 10 x 0. As imagens reproduzidas nas redes sociais não deixam dúvidas. Enquanto torcedores do Brasil e de outros países se retiravam dos estádios, deixando montanhas de lixo, sem sequer olhar para trás, os japoneses recolhiam discretamente garrafas e copos de plástico, papel, bandejinhas de isopor, latas de cervejas e de refrigerantes, canudinhos, restos de alimentos, embalagens usadas, enfim todo lixo produzido por eles.  

Esse gesto civilizatório foi o legado mais eloquente da Copa. Com o exemplo, o japonês ensina ao mundo como tratar com respeito e civilidade o espaço público, como se relacionar com o meio ambiente e com os outros habitantes do planeta. A coleta do lixo, feita em sacos com a imagem impressa do sol nascente, foi uma lição de ética e de cidadania. Lembrei cena antológica de rara beleza do filme Dersu Uzala dirigido pelo cineasta japonês Akira Kurosawa, em 1975, baseado no diário de um capitão russo. Na torcida nipônica – diria Nelson Rodrigues – todos eram Dersu Uzala.

O chibé repartido
O filme conta a história de uma expedição científica do exército tzarista pela bacia do rio Usurri, entre 1902 e 1907, comandada pelo capitão Vladimir Arsenyev, com a finalidade de classificar as espécies existentes nas estepes da Sibéria e realizar trabalhos de topografia. O capitão faz amizade com um caçador nativo, Dersu Uzala, um velho sábio que trata o sol, as estrelas, a água, o fogo, o vento, a neve, as árvores e os animais como pessoas. Tal qual um tcheramoiguarani, ele ouve todas essas “pessoas” que vivem na taiga siberiana – a maior floresta fria do mundo - e conversa com elas.
Akira Kurosawa vai mostrando como se tece a amizade do capitão russo com o caçador, que lhe serve de guia não apenas pelas montanhas da Mongólia, mas também pelos sendeiros da vida. Depois de uma tempestade de neve, os dois conseguem se refugiar numa cabana no meio da floresta, onde descansam. No dia seguinte, antes de partirem, Dersu, o homem da floresta, abastece o fogão com lenha, separa um pouco de sal e estoca alimentos não perecíveis na cabana. Divide assim o pouco que tem para surpresa do capitão russo, o homem da cidade, que lhe diz:
- Dersu, isso é um desperdício. É inútil deixar mantimentos aqui, nós nunca mais voltaremos a esse lugar.
Quase todo semestre passo esse filme em sala de aula e todas as vezes me comove a cena, quando o caçador, então, explica que não é para eles dois, mas para uma pessoa qualquer, um eventual viajante, desconhecido, que chegue ali cansado e com frio, em busca de abrigo, de calor e de alimento. Compartilhar o pão não necessariamente para retribuir o que eles tinham encontrado, mas pelo prazer da partilha.    
O capitão russo, um homem de ciência, civilizado, com escolaridade, fica no meio do tiroteio, perplexo e dividido entre, de um lado, o princípio da “farinha pouca meu pirão primeiro” que ele traz do mundo urbano e, de outro, o preceito do pirão compartilhado, que é único sinal humano de vida, como canta o poeta Aníbal Beça num haicai: “Apenas num gesto / o homem é capaz de vida - / chibé repartido”.

Não vai haver lixo
A ética da solidariedade, do desprendimento, do pensar no outro está presente tanto no comportamento do velho caçador desescolarizado, que vive no mundo da oralidade e que detém os conhecimentos da vida, quanto na coleta silenciosa do lixo realizada pelos torcedores nipônicos.
O cineasta japonês Akira Kurosawa rodou as cenas de Dersu Uzala em 1974, em condições adversas, depois de haver tentado o suicídio três anos antes, cortando a própria garganta e os pulsos numa forte crise de depressão. Estava desencantado com o ser humano. Nesse contexto, o filme teve o efeito daquele poema de Allen Ginsberg: uma florzinha solitária desabrochando em cima de um monte de merda. É uma reconciliação com a vida, um canto de esperança, que desperta sentimento similar ao provocado pelas imagens dos japoneses coletando o lixo no estádio.

- Eu sou bra-si-lei-ro, com mui-to or-gu-lho, com mui-to a-moooor – grita a nossa torcida embalada para a guerra. Resta saber – isso não é explicitado - do que é que sentimos orgulho. Numa sociedade patriarcal como a brasileira, parasitária, tatuada por quatro séculos de escravidão, estamos acostumados a emporcalhar tudo, ordenando que garis limpem nossa sujeira. Nossas ruas com bueiros entupidos e os banheiros e salas de aula de nossas universidades públicas são testemunhas disso. Lá, o exército do “pessoal de limpeza” trava diariamente uma batalha perdida, registrando o rotundo fracasso da escola.
- Somos milhões em ação. Todos juntos, vamos pra frente, Brasil. Salve a seleção! De repente é aquela corrente pra frente, parece que todo o Brasil deu a mão!
Sem patriotadas, o lema dos japoneses, talvez muito mais significativo do que “não vai haver copa”, foi o silencioso “não vai haver lixo”. A corrente nipônica pra frente nos deu uma lição, que já rendeu os primeiros frutos. Na Fifa Fun Fest segunda-feira, em Copacabana, no Rio, turistas alemães, espelhados no exemplo vindo do Oriente, não apenas recolheram o lixo da praia, mas incentivaram outros frequentadores a ajudá-los.
Esse gesto de extrema delicadeza e refinamento, embora solitário, mostra que civilização não é abrir estradas, construir usinas, erguer pontes e viadutos, fabricar aviões, automóveis e robôs, clonar seres vivos. É saber se relacionar com o outro: gente, planta, animal, meio ambiente. É a qualidade dos gestos que torna a condição humana possível. Enquanto houver alguém juntando o lixo e nos deixando envergonhados de nossa imundície, o mundo não está totalmente perdido. Uma florzinha brota no esterco.
Foi um ato singelo, mas que renova nossas esperanças na espécie humana e no futuro do planeta. A bola, efetivamente, é um reles detalhe. Torcida japonesa, por despertar o Dersu Uzala que existe dentro de cada um de nós, domô arigatô gozaimasu.  















China estabelece instituto nacional de pesquisa de tradução

Um instituto nacional de pesquisa de tradução foi estabelecido para promover um melhor entendimento da China no exterior.


O instituto, subordinado à Administração de Publicação em Línguas Estrangeiras da China, ajudará a divulgar as opiniões da China e deixá-las melhor entendidas, de acordo com a administração.

Devido à diferença cultural e linguística, algumas expressões chinesas são difíceis para os estrangeiros entenderem mesmo que traduzidas em suas línguas nativas.

O instituto focará na pesquisa de como traduzir, expressar e publicar melhor as principais opiniões e ideias chinesas, especialmente aquelas relacionadas à política e aos conceitos com características chinesas.

O instituto também ajudará a promover os talentos de comunicação proficientes em línguas e culturas chinesas e estrangeiras.



por Xinhua

Tibete conclui digitalização dos patrimônios culturais imateriais

O acervo digital de diversos patrimônios culturais imateriais do Tibete já foi inserido em um banco de dados. Dentre eles, há óperas tibetanas e danças tradicionais, revelou o governo da Região Autônoma do Tibete. Os dados serão gratuitamente acessados pelo público, de forma a concretizar o compartilhamento dos recursos culturais.



Desde 2013, o Tibete começou os trabalhos de digitalização dos patrimônios culturais imateriais. Até o momento, já foram colecionados mais de 100 mil manuscritos, duas mil fitas de áudio e vídeo e 45 mil fotografias, contemplando as áreas de música, dança tradicional e folclore e outras tradições locais.



Fonte: CRIOnline

Tecnologia chinesa garante segurança cibernética do Brasil

maior empresa de segurança cibernética do Brasil PSafe promoveu nesta terça-feira no Rio de Janeiro a nova série de produtos de segurança cibernética. A tecnologia chave destes produtos foi alavancada pela empresa chinesa Qihoo 360. Essa cooperação visa intensificar a segurança na internet no Brasil, e também é favorável para exploração por parte das empresas chinesas no mercado latino-americano.

Com o apoio tecnológico da China, a PSafe já dominou 40% do mercado brasileiro em relação aos produtos de segurança cibernética em idioma português.


Fonte: CRIOnline

terça-feira, 29 de julho de 2014

Peking University

História

A Peking University é uma das universidades mais importantes da República Popular da China.

Fundada em 1898, é considerada a primeira universidade nacional da história moderna chinesa e possui a maior biblioteca de toda a Ásia, com uma colecção de quase oito milhões de volumes.


PrémiosTal como muitas universidades nacionais, pode-se orgulhar de uma localização privilegiada. O seu campus, conhecido por "Yan Yuan", encontra-se na capital da China, Beijing (Pequim), perto do Palácio de Verão. As suas instalações estendem-se pelos cerca de 250 hectares de terrenos da universidade.

Estudos

A sua longevidade e o papel predominante que desempenhou no ensino chinês durante o seu desenvolvimento nas primeiras décadas do século XX, entre outras razões, tornaram a Peking University numa das instituições de ensino superior mais importantes da República Popular da China, tal como o atestam os rankings das universidades mais prestigiadas, como por exemplo o elaborado pela Shanghai Jiao Tong University, também chinesa.

A investigação é um dos pilares desta universidade. Às infra-estruturas destacadas (laboratórios de importância nacional e estatal, vínculos a centros de saúde e hospitais) liga-se o pessoal de alto nível entre os quais se encontram membros da Academia Chinesa de Ciências e a sua homónima de Engenharia.

Selos de ExcelênciaCom uma vida universitária muito rica e variada, celebra todos os anos o International Cultural Festival, em que se organizam uma série de actividades que servem como expressão do seu carácter multiétnico e global, e no qual se apresentam representantes educativos e de diversas embaixadas.
Para obter mais informações sobre a universidade, aconselhamos a entrarem directamente em contacto com eles através da direcção seguinte:

Peking University
5 Yiheyyuan Road
100871 Beijing
Telefone: +86 10 6275 1201
Fax: +86 10 6275 1207




* Fonte foto: Peking University

Palácio de Potala inicia registro de relíquias culturais

Sala de tesouros do Palácio Potala
De acordo com informações do Departamento de Administração do Palácio de Potala, no Tibete, o trabalho de registo de relíquias culturais já se iniciou. Cerca de 100 mil relíquias culturais serão registradas, no prazo de dois anos.


Reliquia do Palácio Potala
Desde 1991, o departamento de administração começou classificar e registrar as relíquias culturais do palácio. Desde 2008, cerca de 80 mil relíquias culturais já foram registradas e os arquivos de registro também foram conservados.

Em novembro de 2013, o Tibete começou os trabalhos de registro das relíquias culturais que cobrem toda a região e planeja concluir os trabalhos dentro do prazo de três anos.








Fonte: CRIOnline