Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

sábado, 30 de maio de 2015

Cinturão econômico da Rota da Seda e da Rota Marítima



"As Iniciativas do Cinturão e da Rota", constituem a abreviatura de "Cinturão Econômico da Rota da Seda" e de "Rota da Seda Marítima do Século XXI", atravessando os Continentes europeu e asiático e interligando o círculo econômico ao Leste, na região da Ásia-Pacífico, e a Oeste, na Europa.



Especialistas argumentaram que na construção do Cinturão Econômico da Rota da Seda e da Rota da Seda Marítima do Século XXI, as empresas estatais de grande porte poderão se tornar as principais forças.

Dados mostram que 47 estatais chinesas entraram na lista das 500 maiores empresas mundiais, com investimentos espalhados por 157 países, representando mais de 70% dos investimentos diretos e não financeiros da China no exterior.

O vice-presidente do Instituto de Pesquisa sobre as Reformas e Desenvolvimento das Empresas Chinesas, Geng Qingzhi, indicou que as estatais têm todas as condições de base, experiência e capacidade para desempenhar o papel de vanguarda.

Mais de trezentos diplomatas e representantes de empresas multinacionais se reuniram recentemente em Beijing para ouvir a apresentação sobre a estratégia de "Um Cinturão e Um Caminho", feita pelo alto funcionário da Comissão Estatal de Desenvolvimento e Reforma da China, Zhang Yansheng. O evento despertou bastante interesse por parte dos convidados.

Ao responder às perguntas feitas por representantes da empresa japonesa, Mitsubishi, Zhang Yansheng disse que as multinacionais japonesas podem beneficiar com a ideia, ou seja, o Cinturão Econômico da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima do Século XXI.

A China quer reforçar a cooperação com os países ao longo do "Cinturão Econômico da Rota da Seda" e da "Rota da Seda Marítima do Século XXI", a iniciativa com o título abreviado "Um Cinturão e Uma Rota". O fortalecimento das colaborações será concretizado em oito aspectos, nomeadamente a interligação na construção de infraestrutura.

Fonte: CRIOnline

Abaixo um roteiro turistico elaborado pela CHINATUR, por uma das Rotas !

C02 - ROTA DA SEDA (13 DIAS / 12 NOITES)Beijing (3n) – Xian (2n) – Dunhuang (1n) – Trem (1n) – Turpan (1n) – Urumqi (2n) – Shanghai (2n) 




sexta-feira, 29 de maio de 2015

CHINA - Um país que agrada qualquer tipo de turista.

localização geográfica da chinaA China está situada na porção oriental do continente asiático, tendo montanhas a oeste e vales a leste. Com 9,6 milhões de km2 de área, suas terras compreendem 50º de latitude e mais de 62º de longitude, fazendo fronteira com países como Coréia, Rússia, Afeganistão, Índia, Paquistão, Curdistão, Nepal, Butão, Burma, Laos e Vietnã. Seu território abrange desde a zona fria temperada até o cinturão equatorial, sendo recoberto por florestas, savanas, planícies e colinas. A China possui um dos desertos mais áridos do mundo (Gobi) e uma das melhores terras aráveis também.


O país tem 5.400 ilhas, sendo Taiwan a maior delas, e Hainan, a segunda. Das 19 montanhas com mais de 7.000 metros de altura no mundo, sete estão localizadas na China. O planalto do Tibet, conhecido como o terraço do mundo, abarca muitas das montanhas mais altas. Himalaia tem o pico mais alto do mundo - o Monte Everest, que fica 8.848 metros acima do nível do mar. O Everest, por sinal, também pertence ao Nepal. E é do lado nepalês que os alpinistas se aventuram a escalá-lo, já que o lado chinês é fechado ao público.
Pequim panorâmica
Vista panorâmica da Pequim
Essas características climáticas, geográficas e culturais fazem da China um país peculiar, capaz de agradar a qualquer tipo de turista: dos praticantes do turismo de aventura e ecológico ao amante do burburinho das grandes metrópoles. Pequim, a capital da China e sede dos Jogos Olímpicos de 2008, por exemplo, é uma das maiores cidades do mundo, com mais de 14 milhões de habitantes. É um microcosmo da China moderna e de suas contradições. De um lado os prédios modernos. De outro, as casas baixas de arquitetura milenar tradicional.
Templo do Céu
Por isso, há muito o que fazer e ver na China: de montanhas nevadas e praias a vilarejos tradicionais e grandes cidades, passando por palácios e ruínas de construções milenares, templos religiosos e milagres da arquitetura. Antes de embarcar na viagem, no entanto, é bom planejá-la corretamente. Dependendo do número de dias que pretende passar lá, vale a pena debruçar-se sobre um guia turístico do país e traçar um roteiro que permita aproveitar o que há de melhor do território chinês. 
Seis das 23 províncias chinesas mais a capital Pequim estão no norte da China, região marcada pelo Rio Amarelo, pela Grande Muralha. Por ter abrigado capitais dinásticas, a região é rica em cidades históricas e outras atrações:
  • Rio Amarelo: é o segundo maior rio chinês, e ganhou esse nome devido ao sedimento que ele recolhe em seu trajeto pelo planalto Loess. Os sedimentos elevam o leito do rio, que constantemente, inunda as regiões circundantes.

muralha da china
A Grande Muralha da China 
  • Pequim: a capital do país só ganhou status de capital imperial no final do século 15. É uma cidade de avenidas largas e retas e ruelas estreitas e sinuosas construídas em torno da Cidade Proibida, o antigo núcleo palaciano. Ao lado de templos e palácios estão prédios modernos e ruas comerciais. Museus, galerias e universidades devem fazer parte do passeio cultural da cidade, ao lado do Templo do Céu, complexo de templos e modelo de equilíbrio arquitetônico chinês. Pequim dispõe de boas ligações por avião, trem e ônibus com a região que está à sua volta. Há vôos diários para Xi'an, Luoyang, Qingdao, Kaifeng e Zhengzhou. Trens expressos ligam Pequim diretamente a todas as grandes cidades da região, e destas é possível chegar às menores em trens mais lentos. Ônibus particulares fazem as rotas turísticas mais procuradas.

  • Grande Muralha: fortificação de defesa construída em uma área antes vulnerável aos ataques da Mongólia e da antiga Manchuria, a muralha tem 5.000 km.

Na região central da China encontram-se Xangai as províncias de JiangsuAnhuiZhejiangJiangxiHunan e Hubei, que abrigam, entre atrações históricas e belezas naturais, a cidade de Nanquim, o Grande Canal, e a Barragem das Três Gargantas, a maior represa do mundo. O que ver:
xangai
Vista panorâmica de Xangai, segunda maior cidade da China
  • Xangai: considerada o retrato da nova China, o município autônomo de Xangai é a maior cidade do país (são 13 milhões de habitantes), e a mais moderna e dinâmica também. 

  • Xangai envia e recebe vôos do mundo todo. A locomoção dentro da cidade pode ser feita por metrô, táxi (numerosos e baratos) e ônibus (muitos, mas apinhados de gente). Como trânsito de Xangai é caótico e congestionado, recomenda-se usar o metrô para chegar às principais atrações turísticas locais, como oBund, o centro comercial que já foi o coração da cidade colonial; Nanjing Lu, a principal rua de compras de Xangai; Pudong, que abriga os edifícios comerciais mais altos do mundo; e o Museu de Xangai, com seu acervo de mais de 120 mil peças.

Passeio de barco pela Ilha.
  • Hong Kong: possessão britânica até 1997, a ilha de Hong Kong é uma cidade cosmopolita, repleta de arranha-céus, que vibra de dia e de noite, graças ao status de centro financeiro global. O coração da cidade é dividido em dois pelo porto Victoria. As principais atrações culturais (Mosteiro dos 10 Mil Budas, Hong Kong Science Museum, Pico Victoria, Jardins Zoológico e Botânico), locais de compras, bares e restaurantes, e vistas ficam na praia do norte e na ponta sul. A melhor forma de conhecer a ilha é a pé. O trânsito aqui também é caótico, principalmente nas áreas centrais. O sistema de metrô é eficiente: o Mass Transit Railway serve os bairros centrais, e o Kowloon-Canton Railway liga o centro aos Novos Territórios e ao continente. onibus, táxis e bondes existem em abundância e são baratos e eficientes. Um serviço de balsa liga Hong Kong ao continente e às ilhas vizinhas.

Fonte: Internet

A CHINATUR, tem vários roteiros a sua disposição para você conhecer todos os pontos turisticos da China, conheça !!!



Você sabia que o turismo no Tibet tem se desenvolvido muito rapidamente.

The Yarlung Tsangpo Grand Canyon [Photo/CNTV]O Yarlung Tsangpo Grand Canyon no Tibet, sudoeste da China foi listado no primeiro lote de "pontos de interesse turístico nacionais com preços razoáveis", segundo a Xinhua.

De acordo com o Nyingchi Tourism Bureau, a lista publicada recentemente pela Administração Nacional de Turismo da China contém 1.801 pontos de interesse turístico em toda a China, entre os quais há 24 pontos do Tibete.

Além do Yarlung Tsangpo Grande Canyon- maior cânion do mundo, a lista também inclui pontos tibetanos como a Basum-tso Lake, Neyul Valley, e Lulang.
The Yarlung Tsangpo Grand Canyon [Photo/CNTV]

Wang Jun, diretor do Nyingchi Tourism Bureau, disse que nos últimos anos a indústria do turismo no Tibete tem se desenvolvido rapidamente. A fim de criar um ambiente favorável para o turismo, Nyingchi, aclamada como a "Suíça do Oriente", tem prestado muita atenção à construção de infra-estrutura do turismo local e supervisão do mercado. Como resultado, mais e mais turistas nacionais e estrangeiros têm sido atraídos para visitar Nyinghi.

The Yarlung Tsangpo Grand Canyon [Photo/China Tibet Online]
Nyingchi City está localizado no sudeste do Tibete com uma altitude média de 3.100 metros. À medida que a área menor no Tibet, Nyingchi coberto extensivamente por florestas e vegetação densa, tem a paisagem subtropical. Ele foi listado pelo Tibet como uma chave "zona de ecoturismo do turismo mundial", assumindo uma posição especial em todo mercado de turismo do Tibete.

Fonte: China Tibet OnLine



Consulte abaixo, alguns dos roteiros que a CHINATUR tem para o TIBET.


Lhasa (3n) – Gyantse (1n) – Shigatse (1n) – New Tingri (2n) – Shigatse (1n) – Lhasa (1n)

Lhasa (3n) – Gyantse (1n) – Shigatse (1n) – Lhasa (1n) 

Hotéis 5 Estrelas



Ana Maria, diretora da Chinatur, mostra um pouco do requinte japonês em cidades imperdíveis de serem conhecidas.



KIOTO – PARADA OBRIGATÓRIA EM QUALQUER ROTEIRO

Um passeio bem feito por Kioto é como mergulhar em páginas de um livro de história antiga, é caminhar por ruas estreitas repletas de templos milenares, tomar chá verde em um loja centenária, ver pessoas vestidas de Quimono.


KIOTO: DESCOBRINDO FUSHIMI A TERRA DO SAKE
Saindo um pouco do roteiro turistico tradicional de Kioto, a ideia é desvendar Fushimi e Momoyama. Bairros que estão ao sul de Kioto as margens do Rio Uji, um antigo e importante elo de transporte entre as cidades de Osaka, Kobe e Nara e que são mundialmente conhecidos pela produção de Sake.

Fushimi Inari é o templo da Raposa


O templo se estende por um lindo tunel de portais de madeira (Tori) que são oferecidos pelos peregrinos e tem quase quatro kilometros de extensão, montanha acima.

Nara 

Nara fica a cerca de 40 minutos de Kioto de trem e é uma gracinha! Imagine uma cidade repleta de parques verdes e de bambis que andam soltos.
Tem ainda o Todai-ji, um templo enorme onde fica o maior buda do Japão: um pacifico gigante de madeira.

HIROSHIMA

Para quem se interessa por história, Hiroshima é um das paradas mais interessantes do Japão. Entenda um pouco da história do pré e pós bomba atômica. 



Himeji, Japão

OSAKA

Uma das maiores e mais agitadas cidades do Japão. Para quem não vai para Tóquio, vale a pena passear pelo menos um dia em Osaka. A vida noturna de Osaka é mais agitada da região de Kansai. Visitar o castelo Osaka, SKI Tower e vários templos.







ISE

Culturalmente falando, Ise é um das cidades  mais importante para os japoneses, um dos locais de peregrinação já que  é considerada uma cidade sagrada. O templo xintoísta é muito importante. Visitar o centro da cidade, para quem gosta de pérolas, é muito bom porque lá existem muitas lojas especializadas.


HAKONE 

Hakone é uma das cidade próximas do Monte Fuji e um dos melhores lugares para quem quer ver a montanha de perto, fazer passeios pelos lagos e cachoeiras  e curtir a natureza,Camihadas pelos lagos e cachoeiras e desfrutar da beleza do Monte Fuji.



NAGANO

Uma excelente pedida para quem gosta de esquiar. Nagano foi sede das olimpíadas de inverno e tem uma estrutura invejável e impecável. O templo budista principal da cidade, também vale a visita!









TÓQUIO

Nesta metrópole, o bom funcionamento dos serviços urbanos e a segurança da cidade surpreendem até o mais viajado dos turistas. A cidade conta com o mais eficiente sistema de transporte do mundo, com trens, ônibus e metrôs que partem assustadoramente no horário. Em Tóquio, novos projetos e construções mudam a paisagem de uma cidade que nunca é igual por dois dias seguidos. A capital japonesa é a combinação perfeita do Japão tradicional e do que há de mais moderno disponível no mundo.







Extensões

O chanceler chinês avalia visita de Li Keqiang à América Latina como muito pragmática

Xi Jinping - Presidente da China
O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, terminou recentemente a sua visita oficial ao Brasil, Colômbia, Peru e Chile. Em menos de um ano, a América Latina recebeu dois líderes chineses, o presidente Xi Jinping e o premiê Li Keqiang, o que contribuiu para reajustar as relações entre as duas partes e criar um novo modelo de cooperação.


Na entrevista concedida à imprensa, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, usou por três vezes a palavra "muito" para avaliar a visita do premiê chinês.

"A visita é muito oportuna, muito pragmática e tem muito sucesso. Entre os diversos pontos marcantes estão a cooperação na capacidade industrial e nas finanças, a construção da ferrovia e túnel transoceânicos, assim como os intercâmbios culturais e a aprendizagem mútua entre civilizações. 
Li Keqiang - Primeiro Ministro Chinês

A visita histórica do presidente chinês, Xi Jinping, à América Latina, realizada no ano passado, foi anunciado o estabelecimento da parceria de cooperação global de benefício mútuo e o desenvolvimento comum entre as duas partes. A visita de Li Keqiang, porém, empurrou esta parceira paramais longe.

"Todos os países latino-americanos têm a perspectiva de diversificar o seu desenvolvimento econômico e de acelerar o processo de industrialização. A China, por outro lado, está no caminho da reestruturação econômica e possui necessidade de exportar a sua capacidade industrial e equipamentos de alta qualidade. Devemos dizer que a China e a América Latina conseguiram fazer uma ligação correspente ao mais alto nível, com alto grau de compatibilidade e de complementariedade. Conseguimos encontrar o novo caminho de cooperação."

Fonte: CRIOnline


Duração: 6 dias / 5 noites
Destinos: Datong, Pingyao
A partir de USD 1475


Duração: 3 dias / 2 noites
Destinos: Luoyang
A partir de USD 580


Duração: 6 dias / 5 noites
Destinos: Beijing, Shanghai
A partir de USD 866


Duração: 4 dias / 3 noites
Destinos: Beijing
A partir de USD 430


Conselheiro de Estado chinês se reúne com diretor da Europol



O conselheiro de Estado e ministro da Segurança Pública da China, Guo Shengkun, se reuniu com o diretor da Europol, Rob Wainwright, na quinta-feira, de acordo com uma declaração emitida nesta sexta-feira pelo ministério.

Guo disse esperar que a China e a Europa fortaleçam a cooperação na luta contra o terrorismo e crimes transnacionais.

Guo indicou que a China quer fortalecer a cooperação na aplicação da lei e segurança para contribuir com a parceria bilateral.

Wainwright disse que a Europol dá grande importância à cooperação com a China e espera fortalecer a coordenação pragmática na aplicação da lei e na segurança.

A Europol foi fundada sob o Tratado Maastricht da Europa de 1992 e entrou em operação em 1994, com sede em Haia, Holanda.

Fonte: Agência Xinhua

Você já conhece os roteiros elaborados pela Chinatur, para suas próximas viagens!!!