Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

segunda-feira, 13 de março de 2017

Turismo na China - Um passeio pelo centro histórico de Macau

O centro histórico de Macau é o mais antigo patrimônio arquitetônico de origem européia em solo chinês. Coexistindo entre o moderno e o tradicional, a arquitetura colonial do centro histórico de Macau, assimilou e soube manter vivas as tradições das diferentes culturas que foi exposta ao longo de sua riquíssima história.

Macau, motivos para conhecer Macau

Testemunho vivo do pluralismo cultural, retratado por uma peculiar simbiose de tradições arquitetônicas importadas do oriente e do ocidente. Macau é um testemunho sólido do papel missionário da cidade no extremo oriente, igualmente importante na disseminação das tradições populares da China no mundo ocidental.

Macau

E é justamente por isso e outros motivos que desde 15 de Julho 2005, o centro histórico de Macau passou a ser considerado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade e é agora um dos 50 Patrimônios Mundiais da Humanidade existentes na China.

Macau centro histórico

Uma das melhores maneiras de conhecer o centro histórico de Macau e vivenciar tudo isso é fazer um passeio à pé por suas charmosas ruas e vielas descobrindo suas jóias arquitetônicas. 

Templo de A-Má

Considerado o marco zero de Macau, o templo de A-Má está localizado no largo da Barra e é considerado o templo mais antigo de Macau e conta com uma série objetos e artefatos de grande valor histórico.
macau-1
O templo inclui o pavilhão do pórtico, o pavilhão da benevolência, o pavilhão de Guanyin e o Zhengjiao Chanlin (um pavilhão budista).

Quartel dos Mouros

Construído em 1874 pelo arquiteto italiano Cassuto, este edifício foi originalmente utilizado para acomodar um regimento militar de soldados oriundos de Goa na Índia. Atualmente funciona como a sede da capitania dos portos de Macau. O design do edifício apresenta forte influência mourisca.
Quartel dos Mouros em Macau

Casa do Mandarim

Construída antes de 1869, esta foi a residência de Zheng Guagying, uma importante figura literária chinesa. A casa mandarim em Macau foi edificada ao estilo tradicional chinês, exemplificado nas diversas formas de suas portas e janelas, na super estrutura da casa, nos materiais de construção utilizados. No entanto, foram também nela incorporados vários elementos construtivos trazidos pelos europeus, tais como uso de tijolos cinzentos e telhados em estilo indiano, o batente sob às portas e janelas e as venezianas.
Casa Mandarin Centro Histórico de Macau

Largo de Santo Agostinho

Embora não seja muito grande, este simpático largo proporciona uma sensação de tranquilidade. Concentra vários edifícios e monumentos tombados pela UNESCO, incluindo a igreja de Santo Agostinho, o teatro Dom Pedro V, o Seminário e Igreja de São José e a biblioteca Sir Robert Ho Tung. O calçamento em estilo português reflete a ambiência de um espaço público tradicional português.
Largo Santo Agostinho Macau.jpg

Largo do Senado

O largo do Senado desde sempre se assumiu como o centro urbano de Macau e é, o local por excelência para eventos públicos e festejos. Os edifícios que circundam a praça foram construídos nos século XIX e XX, Em 1993 a praça foi totalmente revitalizada e totalmente pavimentada aos moldes das calçadas portuguesas, com uma padronagem em ondas, a fim de destacar as cores vibrantes e coloridas dos edifícios que a circundam.
macau

Casa de Lou Kau

Construída em 1889, esta casa foi a residência da família de Lou Kau, um importante comerciante chinês de Macau. É um edifício de dois andares, apresentando características típicas do estilo tradicional chinês xiguan do final da dinastia Qing. Seu interior apresenta uma mistura de estilos orientais e ocidentais, tendo sido concebido de acordo com o fēng shuí. Por exemplo, existe um biombo logo na entrada da casa que se acredita criar uma barreira mantendo uma atmosfera harmoniosa no interior da casa. Em seu interior encontramos ainda esculturas em terracota, janelas em estilo manchú e venezianas portuguesas.
Casa de Lou Kau
Fonte: Viajoteca

Nenhum comentário:

Postar um comentário