Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Beijing prepara investimento de 4,85 bilhões de dólares no desenvolvimento coordenado de Beijing-Tianjin-Hebei

BEIJING, – Beijing investirá 33,31 bilhões de yuans (4,85 bilhões de dólares) este ano no desenvolvimento coordenado de Beijing-Tianjin-Hebei, de acordo com o departamento financeiro municipal.
Beijing prepara investimento de 4,85 bi de dólares no desenvolvimento coordenado de Beijing-Tianjin-Hebei

470 Milhões de yuans adicionais serão investidos na construção de florestas ecológicas.
As principais políticas de despesa incorporam esforços para garantir a materialização do pacote de políticas delineadas no "Plano do Desenvolvimento Conjunto de Beijing, Tianjin e Hebei", acelerar a construção de “sub-centros”, aumentar o apoio à província de Hebei, e oferecer assistência a Xinjiang e ao Tibete, disse Han Jie, porta-voz e vice-diretor do departamento supracitado.
Os detalhes do investimento demonstram que 11,09 bilhões de yuans serão canalizados para a construção do novo aeroporto, a fim de incrementar a rede de transportes da região de Beijing-Tianjin-Hebei.
Um total de 11,81 bilhões de yuans serão aplicados para garantir o funcionamento experimental do novo Hospital de Tiantan; impulsionar o projeto da ramificação do Hospital Tongren, localizado em Yizhuang; e a construção dos novos campi da Academia de Cinema de Beijing, Universidade de Tecnologia e Negócios de Beijing, entre outros.
Resultado de imagem
Beijing
Mais se acrescenta que 4,25 bilhões de yuans serão usados para a construção de infraestruturas nas regiões administrativas no sub-centro da cidade e para a arborização ao longo das ruas no centro da cidade.
Beijing fará uso de 5,7 bilhões de yuans para apoio a regional em Xinjiang, Tibete, Qinghai, Mongólia Interior e Badong.
A capital deverá prestar também auxílio a Hebei nos trabalhos do Projeto de Desvio de Água do Sul para o Norte.
470 Milhões de yuans adicionais serão investidos na construção de florestas ecológicas.
Fonte: Diário do Povo Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário