Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Opinião de um que foi Embaixador Chinês no Brasil, o qual o Sr. Young Siu Choy, fundador e pai do diretor da Chinatur, teve o prazer de conhece-lo pessoalmente.

Chen Duqing

Chen Duqing, 69 anos é uma figura central das relações entre Brasil e China. Diplomata de carreira, Duqing ingressou no Ministério das Relações Exteriores da China em 1972, pouco depois de o país ter recuperado seu assento nas Nações Unidas, Serviu o Brasil por mais de 13 anos nos Consulados Gerais da China em São Paulo e Rio de Janeiro e na Embaixada de Brasília. Fluente em português - idioma que aprendeu na juventude -, Duqing teve participação ativa as negociações para o estabelecimento de relações diplomáticas entre China e Brasil, país que acabou, como diz ele, adotando como uma segunda pátria. "No Brasil eu me sinto em casa, este é um sentimento natural que não escondo", afirma.

A opinião de Duqing sobre se Brasil e China, se já atingiram o mais alto grau de relação diplomática, que é o de parceria estratégica e o que falta para aprofundarem ainda mais esta amizade.

"Creio que ainda falta conhecimento mútuo. O Brasil não sabe o que está acontecendo atualmente na China e desconhece o seu passado, o que dificulta mais ainda o entendimento da realidade chinesa. E sobre o Brasil, apesar de uma simpatia natural pelo país, os chineses conhecem apenas o café, o samba, carnaval e futebol. Todos olham o Brasil com bons olhos na China, mas tem de haver mais intercâmbio cultural, troca de estudantes, troca de intelectuais, que ajudem a formar uma opinião pública favorável.

Já a China, é muito diferente do que se costuma ouvir, Há um ditado  nosso que diz: 
"VER UMA VEZ VALE MAIS DO QUE OUVIR CEM VEZES". É importante que as pessoas vejam a China com seus próprios olhos. Isto não engana.

Fonte: Revista China Hoje.






Nenhum comentário:

Postar um comentário