Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Beijing quer reforçar cooperação com países de língua portuguesa via Macau

MACAU, 20 de out  – A cerimônia de lançamento e assinatura do programa de “Parceria de Cooperação Macau-Beijing 2016” e a Conferência de Promoção de Projetos de Cooperação China-Macau-Países de Língua Portuguesa foram realizadas hoje (20) em Macau. Uma delegação com mais de 200 membros, liderada pelo prefeito de Beijing, Wang Anshun, participou em eventos, durante os quais seis acordos de cooperação entre o governo municipal de Beijing e o governo da Região Administrativa Especial de Macau (REAM) foram assinados. Em Beijing foram ainda assinados acordos de cooperação com dois órgãos de promoção comercial de Portugal.
O programa “Parceria de Cooperação Macau-Beijing 2016” é uma parte importante da realização plena do reforço de cooperação Beijing-Macau, e afirma-se como uma medida concreta baseada na iniciativa “Um Cinturão e Uma Rota”.
A Conferência de Promoção de Projetos de Cooperação China-Macau-Países de Língua Portuguesa foi presidida pela diretora da Associação de Desenvolvimento do Comércio de Beijing, Xiong Jiuling. Durante a conferência, Beijing apresentou a Macau e aos representantes dos países de língua portuguesa, projetos de colaboração, nos quais se incluem a medicina tradicional chinesa, a Expo de Horticultura 2019 em Beijing, os Jogos Olímpicos de Inverno 2022, entre outros. A conferência de promoção foi realizada no âmbito do programa “Parceria de Cooperação Macau-Beijing 2016” e os acordos assinados no evento envolvem diversas áreas, tais como o intercâmbio de funcionários públicos e jovens, educação, esportes, etc., além de economia, comércio e cultura.
Resultado de imagem para macauResultado de imagem para macau

A "Las Vegas" da China - MACAU

A Associação de Promoção do Comércio de Beijing disse que aproveitará o papel especial de Macau para abrir mercados para as empresas da capital chinês em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Timor Leste e em outros países de língua portuguesa.
Fonte: Diário do Povo Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário