Digite aqui o assunto que busca

Siga-nos por e-mail

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Ferrovia de alta velocidade turca construída com apoio chinês se torna ligação importante entre Oriente e Ocidente


ANCARA, 5 de maio – A Turquia é um país estrategicamente importante para a iniciativa do Cinturão e Rota, apresentada pela China, pois está localizada entre a Europa e a Ásia.
A China reconhece esse fator, decidindo, por isso, ajudar o país na construção de uma rede de ferroviária de alta velocidade, a fim de facilitar o comércio transcontinental.
A ferrovia Ancara-Istambul tem um comprimento de 553 km e liga a capital turca com a maior cidade do país.
Nos tempos da antiga Rota da Seda, a Turquia era a junção mais importante entre o Ocidente e Oriente, ainda o sendo nos dias de hoje. No entanto, o comércio já não é realizado através do transporte animal, e muitas outras coisas mudaram. A iniciativa do Cinturão e Rota ajudará, assim, a impulsionar e capitalizar a importante localização geográfica da Turquia.
Quase 1.500 quilômetros do trecho foram já colocados, estando outros 2.300 quilômetros em construção. Desde que a primeira linha entre Ancara e Eskisehir começou a operar em 2009, mais de 31 milhões de pessoas viajaram no trem de alta velocidade da Turquia, com 33% da população do país conectada a essa rede.
Cerca de 26 milhões de toneladas de bens foram transportados usando a ferrovia de alta velocidade em 2016. O avanço eficaz do comércio é o principal motor do investimento chinês em redes de ferrovia de alta velocidade em vários países ao longo da extensão territorial abrangida pela antiga Rota da Seda.
A linha do corredor do meio, que passa pela Turquia, tem conclusão agendada para 2018, tornando o transporte de produtos chineses para a Europa quatro vezes mais rápido.
A exportação da tecnologia associada a linhas ferroviárias de alta velocidade da China foi o catalisador para o crescente mercado turco de trem-bala, um fator que não só ajudará ao desenvolvimento da Turquia, mas também do mundo.
Fonte: Diário do Povo Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário